Google+ Followers

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Atividade: Criando um novo Universo

Tendo com fundo TNT ou papel 40K (azul ou preto), pedir que as crianças criem um novo Universo. Podem usar guache (como nós fizemos) ou podem usar papeis coloridos. Deixe por conta da imaginação deles, vai ficar muito legal. Vejam a atividade aplicada em 2011 em uma turma do 1º Ciclo.





Atividade: Trocando as imperfeições por virtudes

Levar para a sala um cartaz com a figura de pessoas vestidas com defeitos imperfeições.


Entregar às crianças novas peças de roupa com as virtudes para colorirem. Quando todos tiverem terminado, perguntar quem tem a virtude que combate determinada defeito imperfeição, ir dando dicas até que eles consigam identificar.

Quem estiver com a roupa-virtude , deve ir até o cartaz e tirar a roupa-imperfeição, que estava colada com fita crepe, e vestir a roupa-virtude. Explicar que a cada nova encarnação vamos trocando nossas defeitos imperfeições por virtudes. Somente assim conseguiremos evoluir e sermos espíritos puros.



Meus queridos André Luis, Deise Nunes e Simone Catalão aperfeiçoaram a atividade e em lugar de defeitos, trocaram as imperfeições por virtudes, e ficou lindo! Vejam.



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Atividade: Cuidados com o corpo


Atividade: Perdão

Entregar a cada criança um coração colorido (podemos usar papel liso de várias cores, páginas coloridas de revista, papel de presente, tem que ficar bem colorido). Explicar que quando perdoamos nosso coração se enche de bons sentimentos. Pedir a cada um que escreva no coração que recebeu o que sente quando perdoa, ou o que sentimos quando perdoamos. (Para os pequenos que não saibam escrever ouvir a resposta e escrever para eles). Quando todos tiverem terminado, montar um painel na parede da sala.

Atividade: Prece

Explicar que as boas atitudes também funcionam como uma prece, principalmente quando fazemos com AMOR. Tudo que fazemos com amor, para ajudar o próximo, visando o bem das outras pessoas ou o nosso próprio bem,  funciona como prece e chega até Jesus.
Apresentar diversas figuras com atitudes boas e ruins e pedir que identifiquem quais atitudes funcionam como prece (eu gosto muito de trabalhar com desenhos para que eles possam colorir depois - só as que representam a prece).
Com as figuras identificadas, vão montar um cartaz , colocando um grande coração no meio do papel e Jesus no alto. Pedir que colem as figuras ao redor do coração e, usando um barbante, levem até Jesus passando pelo coração. Ressaltar que nossa prece para chegar até o Mestre tem que, necessariamente, passar pelo coração.


Atividade: Sentimentos

Mostrar carinhas com as seguintes expressões: alegre, triste, furiosa, sonolenta, surpresa, aborrecido, com medo, pensativa, etc. A cada carinha mostrada, perguntar ao grupo “sentir-se dessa forma é bom ou ruim?”. Depois perguntar a cada um “o que faz você ficar _ _ _ _ (expressão da carinha)?”, repetindo a pergunta a cada carinha que mostrar. Ouvindo sempre com atenção e fazendo colocações sempre que necessário.
Nesse momento o evangelizador pode anotar o que for falado para trabalhar as dificuldades dos evangelizandos futuramente.


Eu imprimi as carinhas em branco e desenhei as expressões com hidrocor preta e colori com lápis de cera, mas se procurarem na internet vocês encontram as expressões já prontas.


Atividade: Sentimentos

Eu adaptei a história: A VOZ DO CORAÇÃO, usando algumas situações que ocorriam em sala e que os responsáveis nos relataram.
Como recurso usei a expressão gestual, calçando um par de luvas com rostinho colado em cada uma, e, movimentado as mãos conforme a história foi contada. A entonação da voz também ajudou a mantê-los atentos e participativos.



Era uma vez duas mãos que faziam muitas coisas.

o    Mãos que jogavam bolinhas de papel nos colegas da sala.
o    Mãos que batiam em animais.
o    Mãos que não emprestavam seus brinquedos para os amigos.
o    Mãos que não dividiam seu lanche.
o    Mãos que empurravam os irmãos para longe dos pais, pois queriam os pais só para elas.
o    Mãos que não deixavam mais ninguém usar o computador, só ela queria usar.
o    Mãos que não guardavam seus brinquedos depois de brincar.
o    Mãos que ameaçavam bater em quem não fizesse o que elas queriam.

O que vocês acham dessas coisas todas que essas mãos fazem? (Dar um tempo para responderem)

Um dia o menino olhou suas mãos e sentiu-se muito infeliz. Ele ouviu uma vozinha lá dentro dele. Era uma voz de verdade, que ele ouvia pelo coração. Ele não queria ouvir a voz, mas não adiantava tapar os ouvidos. Sabem por quê? A voz vinha do coração e não tinha jeito de não ouvir.

Sabem que voz era essa? Era a voz da consciência, o lugar onde Deus vive dentro de nós. E vocês sabem o que o menino ouviu a voz dizer?

- Suas mãos não são para fazer essas coisas!

Era a primeira vez que o menino ouvia a voz da consciência. A voz da consciência sabia tudo que o menino fazia e até o que ele só pensava. A voz da consciência sabe o que é certo e o que é errado.

E o menino compreendeu o que fazia de errado.

Ele ficou muito arrependido e prometeu a si mesmo que só iria fazer coisas boas.

Assim, as mãos passaram a fazer só coisas boas:

o    Ajudavam a recolher o papel do chão da sala para mantê-la limpa.
o    Acariciavam os animais.
o    Emprestavam seus brinquedos para os amigos.
o    Dividiam seu lanche.
o    Abraçavam os irmãos e também os pais, todos juntos, um grande abraço de família feliz.
o    Deixavam outras pessoas usarem o computador.
o    Guardavam seus brinquedos depois de brincar.

Agora a voz da consciência fazia o menino cada vez mais feliz.

 Avaliar com perguntas a compreensão da história:
– De onde vinha a voz que o menino ouviu?
– Adiantou tapar os ouvidos para não ouvir a voz?
– O que foi que a voz disse para o menino?
– O que ele prometeu depois de ouvir a voz?
– O que ele passou a fazer com as mãos?
– O menino passou a sentir-se feliz ou infeliz? Por quê?

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Atividade: Conservando nossa casa

Utilizar um cartaz com a figura de um cômodo da casa (eu usei a sala)


colocar diversos objetos espalhados, colados com fita crepe, que cola e descola sem danificar o papel, além de podermos colar e descolar algumas vezes sem que perca a aderência. A ideia é deixar o cômodo bem bagunçado.
(eu coloquei o vaso virado no chão, o par de sapatos em baixo da mesa, a roupa na poltrona, livros e porta-retratos pelo chão)
Perguntei se eles gostavam de chegar em casa e achá-la daquela forma. O que eles poderiam fazer para melhorar aquele ambiente.
Um de cada vez foi até o cartaz e arrumou um objeto. Colocaram o vaso em cima da mesa, os livros na estante, um porta retrato em cima da mesa de canto e outro em cima da TV, o sapato e a roupa eles não souberam o que fazer. Eu perguntei, o lugar correto é a sala? Onde colocamos nosso sapato e nossa roupa? Então esses objetos não pertencem a esse ambiente e não devem voltar para o cartaz.

Uma boa dica é usar encartes promocionais que recebemos junto com o jornal. Se a turma for grande podemos usar vários cômodos e eles colocam os objetos no cômodo correto.

Atividade: Reencarnação - Trocando de roupa

Ao som da música “Trocando de Roupa do CD Cancioneiro Espírita 2” de Marcos Canduta e Jaime Togores:

 Um dia conversando com um amigo meu
Eu perguntei: “E a vida?”, e ele respondeu
-“A vida é muito boa, eu quero mais é viver
E a minha vontade é sempre aprender”
Que todas as lições que ele armazenar
Em outra existência ele desfrutará
Ainda que seja como intuição
Com meu espanto, ele me deu uma explicação


-“É a reencarnação, a gente troca a roupa de montão
E o importante está    aí, mudamos nosso corpo para progredir”


E me explicou o que é morrer e o que é nascer
E eu não esperava aquilo aprender
O meu corpo então virou um instrumentão
Que eu movimento sempre em qualquer direção
Mas minha ações, eu tenho que saber
Serão analisadas a cada anoitecer
É que eu sou um ser em evolução
Aprimorando a inteligência e o coração

-“É a reencarnação, a gente troca a roupa de montão
E o importante está    aí, mudamos nosso corpo para progredir”

 pedir as crianças para pintarem roupas e cabelos de papel.
Quando terminarem, apresentar um bonequinho (previamente colado em papelão).

Cada um vai vestir o bonequinho com as diferentes roupas e cabelos que foram pintadas por eles. Devem dar nome e descrever o boneco (menino ou menina, branco ou negro). Explicar que na brincadeira que acabamos de fazer, o boneco era sempre o mesmo e só a roupa foi trocada, que nós também somos assim, quando nascemos ganhamos um corpo bem pequenino, que depois vai crescendo, crescendo...

O nosso corpo serve de “roupa” para o Espírito; nós nascemos muitas vezes, sempre mudando o corpo, tal como mudamos a roupa do boneco e cada vez que nascemos, ganhamos um novo corpo; às vezes a gente nasce com a pele branca, outras vezes com a pele escura; as vezes nasce numa família rica, outras vezes numa família pobre; o corpo é diferente, mas é o mesmo espírito que vai e volta.
 Esclarecer que nascemos para nos tornarmos melhores, para aprendermos a ser bons, renascemos para sentir cada vez mais amor em nosso coração.

terça-feira, 21 de maio de 2013

Atividade: As Leis de Deus

Para explicar que as Leis Divinas estão gravadas em nossa consciência, confeccionei um boneco de sucata.




Usei uma caixa de chá para fazer a cabeça e deixei  a aba de abrir e fechar a caixa,



colei uma etiqueta com a palavra consciência na aba da caixa, levei todas as 10 Leis Morais escritas em tiras de papel e conforme as citava, colocava a tira de papel dentro da cabeça.

Atividade: Reencarnação - A borboleta e seus "corpos"

Confeccionar uma folha com ovos de borboleta,

uma folha com pequenas larvas,

uma lagarta,

um casulo

e uma borboleta.

Apresentar para as crianças e perguntar se elas sabem o que são.


Explicar como acontece a metamorfose, contando que a borboleta passa por vários corpos durante a sua vida.

Ouvir a música METAMORFOSE (Letra e Música: Maurício Teixeira)

A borboleta nasceu
Da lagarta que, cansada,
No casulo adormeceu
E acordou transformada.

Como a pequena lagarta,
O homem também vai cansar,
Seu corpo vai “dormir”
E o espírito se libertar.

E desde já, meu irmão,
Não ficarei mais triste,
Pois tudo é uma transformação, (bis)
A morte não existe!

Dei uma melhorada no visual para usar na aula de 2015.




A Tartaruguinha Verde - Cenário






















e o cenário com papel colorido.

A Tartaruguinha Verde - História

Em comemoração ao dia do livro, trabalhamos o livro "A Tartaruguinha Verde" de Roque Jacintho. Fizemos os personagens de sucata...