Google+ Followers

quarta-feira, 21 de maio de 2014

A CAPA DA CORAGEM



Frase: Com CORAGEM podemos enfrentar tudo o que possa tentar nos impedir de chegarmos ao nosso objetivo.

Atividade proposta: Iniciamos a aula falando com os evangelizandos que precisamos da ajuda deles, mas que primeiro precisamos saber quem pode ajudar. Fizemos algumas perguntas relacionadas  a questão da coragem x medo.
Lembrar que algumas vezes nós temos medo de coisas que não conhecemos ainda e mesmo sem saber se vai ser bom ou ruim, ficamos com medo. Por isso temos medo do escuro, pois não conseguimos ver direito o que está ao nosso redor. É o medo do desconhecido.

Depois contamos a história "O que tem dentro do ovo?".

Conversamos com o ornitorrinco perguntando o que ele aprendeu. E ele explica que aprendeu a ser corajoso, mostrando que o medo serve para nos ajudar a preservar a nossa vida em alguns casos, mas que ser corajoso é não desistir diante das dificuldades, é ser paciente e não desanimar, é superar os medos e acreditar que somos capazes, é respeitar a si e ao próximo e, principalmente, dizer não para atitudes que são erradas mesmo que os outros tentem nos influenciar, mesmo que todos digam sim, sustentar o não, mesmo correndo o risco de ser chamado de bobão.

Cada um recebeu uma capa para decorar com adesivos e colocar em sua mala.




"O que tem dentro do ovo?"

Adaptação DA HISTÓRIA "O QUE TEM DENTRO DO OVO?" - Telma Guimarães Castro de Andrade 

... eu vim pelo caminho pensando em porque temos medo, pois antes de vir para cá eu estive na casa da minha avó e ela resolveu fazer um bolo, pediu que eu pegasse a cesta de ovos que estava do lado da geladeira, enquanto ela separava o restante dos ingredientes. Quando coloquei a cesta em cima da mesa, ela disse que precisava ir rapidinho na padaria comprar fermento, pois o dela tinha acabado.
Depois que ela saiu, eu percebi que um dos ovos era bem diferente dos outros, ele era bem maior e fiquei muito curiosa. Será que era ovo de pata? Ou seria um ovo de avestruz? Resolvi sacudir e perguntei brincando... “Olá! Tem alguém aí?” E o ovo respondeu: “Tem!”
A minha voz quase sumiu de susto. Peguei o ovo com cuidado e coloquei ele numa vasilha com um pano dentro com todo cuidado para não quebrar.
Tentei conversar com ele “Oi ovo eu sou a Carla! Tudo bem com você?” O ovo não respondeu estava mudo, será que eu tinha sonhado? Fiquei um tempão tentando fazer com que o ovo falasse comigo, mas nada.
Minha avó demorou muito para voltar, eu tinha que vir para a evangelização, então, deixei um bilhete explicando o que tinha acontecido e trouxe o ovo comigo para ver se vocês me ajudam a descobrir “O QUE TEM DENTRO DO OVO?”. Vocês vão ter medo de descobrir?
Pegar um saquinho com uma “geleca” bem gosmenta e gelada dentro, dramatizar “Ah! Mas eu acho que morreu!” sacudir o saco perto do ouvido “Não espere, acho que ainda está se mexendo!!!” Perguntar se alguém tem coragem de colocar a mão aqui dentro para ver se está tudo bem, mas não pode olhar, pois vamos ter que descobrir juntos. Deixar quem quiser verificar e observar as reações.
Bem, na verdade eu só queria ver quem aqui teria coragem para me ajudar. O ovo está bem aqui... pegar um ovo feito em papel marché. E dramatizar a cena, interagindo com o ovo. Colocando ele perto do ouvido e repetindo o que ele “falar”.
“Olá! Você ainda está aí? Por que não sai para participar da aula com a gente?” Ouvir o ovo...
“Você não sabe como vai sair aí de dentro?”
Ah! Já sei, tive uma ideia. Pegar uma canetinha e fingir que desenha uma porta no ovo, no lugar onde já tem uma abertura e em cima escrever porta.
“Pronto ! Agora você já pode sair! Por quê ?! Porque eu já fiz uma porta!”
“Não dá para ver quase nada, tudo ai é muito apertado, você está cheio de fome, e quer que eu dê alguma coisa pra você comer?”
Gente, eu não tenho a menor ideia do que ele gosta de comer, já sei “porque você não sai do ovo e vem escolher alguma coisa bem gostosa pra você comer?”
“Não!! Tá tão bom ai dentro. E depois, você acha que se sair eu como você, feito o lobo da história dos Três Porquinhos?”
Puxa ele está com medo de mim? “Será que eu tenho cara de monstro?” Perguntar para as crianças.
“Ele não consegue ver nada lá de dentro. E agora está com medo de vocês também!”
“Olha só, nos somos bonzinhos, estamos aqui no CEM aprendendo os ensinamentos de Jesus, pode sai que a gente não vai fazer nenhum mal para você!”
“Você acha que a gente vai rir de você porque você não se parece com a gente?”
“Crianças, você vão rir dele se ele sair do ovo? Prometem?”
“Viu, todo mundo prometeu que não vai rir de você. Mesmo assim você não tem coragem de sair do ovo?  Porque você é muito estranho, tem bico e pés de pato, mas não é um pato, nasce de um ovo e mama o leite da sua mãe, o seu rabo parece com o de um castor mas você também não é um castor?”
“Alguém tem ideia de quem ele é?” Ouvir e fazer suspense “Será?!”
“Eu tenho uma capa muito especial, é a Capa da Coragem, com ela você fica protegido não só da chuva, mas também de todas as coisas ruins como: o medo das pessoas não gostarem de você; o medo de enfrentar algo novo, saindo do ovo; medo das pessoas falarem coisas ruins para você, chamarem você de feio, de esquisito. Vou colocar a capa dentro do ovo, é só você coloca-la e sair, pois ela vai te proteger.”
 Abrir a porta e colocar dentro a capa dobrada.
“Como é, vai sair ou não vai? Não, o mundo aqui fora não é tão perigoso, existem muitas pessoas amigas em quem você pode confiar, as crianças que estão aqui vão ser suas amigas, não é crianças? Eu vou estar do seu lado.”
Abrir o ovo e tirar de dentro o ornitorrinco usando a Capa da Coragem. Escolher um nome para ele junto com as crianças. (Não tenho foto desse momento, mas tenho do ovo antes de estar concluído e do ornitorrinco)







segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

O CAPACETE DA ESPERANÇA

Frase : Ter ESPERANÇA é acreditar que tudo na vida pode melhorar.

Atividade propostaIniciamos com alguns questionamentos:
Alguém sabe o que é esperança? Ou o que é ter esperança? Ter esperança é acreditar que tudo vai melhorar.
O que é um mundo melhor? Como seria um mundo melhor?
Como se constrói esse mundo melhor?
Quem constrói esse mundo melhor?
Quem constrói é o que? Qual a profissão de quem constrói?
De que o construtor precisa para realizar seu trabalho? EPI's

Explicamos que toda obra precisa de bons construtores e todo bom construtor precisa de um bom capacete. A grande obra  é a melhoria do mundo, o bom construtor pode ser você. .

Cada evangelizando recebeu uma folha de papel e lápis para "concretizar" uma ação para um mundo melhor.


Depois, entregamos um capacete feito de espuma de para pintarem com guache.




O RELÓGIO DA DISCIPLINA

Frase: O tempo é um tesouro que não se recupera. Precisamos usá-lo com DISCIPLINA e aproveitá-lo naquilo que realmente importa.

Atividade proposta: Explicamos que todos os dias nós recebemos um tesouro que se a gente não usar, ele se perde para sempre. Esse tesouro não pode ser guardado, temos que fazer uso dele imediatamente. 
Questionamos se alguém sabia o que era? O tempo, pois é, nós não podemos guardar os dias, nem as horas, nem os minutos e nem os segundos, temos que aproveitar bem o nosso tempo, pois não podemos mais recuperar o tempo perdido.

Para um melhor entendimento, contamos uma história que falava do Pedrinho e do Toninho, dois amigos que moram na mesma rua, estudam na mesma escola, mas a família de Pedrinho era bem diferente da família do Toninho. Os pais de Pedrinho eram bastante exigentes com os horários, os compromissos e as atitudes do filho. Já os pais de Toninho, não se importam muito com o que o filho fazia. Vimos como eles aproveitam o tempo deles, montando um cartaz com as 24 horas do dia e mostramos o que cada um fazia com o seu tempo, colando figuras com a atividade de cada um deles na hora determinada.




No final, fizemos uma reflexão em relação ao uso do tempo que nos é dado por Deus, concluindo que o tempo usado de forma errada fica perdido para sempre. Por isso a disciplina nos ajuda a aproveitar o nosso tempo da melhor maneira possível.

Cada um recebeu um relógio, feito com CD usado, para decorar.





O ESPELHO DA CONSCIÊNCIA

Frase: Conhecendo o que pensamos e o que sentimos, temos a CONSCIÊNCIA de quem realmente somos.

Atividade proposta: Cada evangelizando recebeu um envelope lacrado. Explicamos que existe uma pessoa a qual Deus ama muitíssimo. Perguntamos e ouvimos as respostas, se eles sabiam o nome dessa pessoa. Essa pessoa é muito importante para Deus, mas o que será que ela faz pra ser tão importante? Essa pessoa faz besteiras de vez em quando, ela não é perfeita, mas Deus fica muito feliz quando ela tem atitudes de amor e de perdão com o próximo. Essa pessoa agrada muito a Deus quando deixa de fazer algo de errado e passa a fazer escolhas certas. Porém, quando essa pessoa faz algo de errado ou tem algum sentimento de raiva, inveja e vingança, Deus fica triste, porque o maior desejo de Dele é que essa pessoa se torne muito boa e evolua. Quem será essa pessoa tão importante? A resposta está dentro do envelope.

Todos abriram seus envelopes e se depararam com a sua imagem no espelho.
Cada evangelizando se olhou no espelho e desenhou o próprio rosto com o maior número de detalhes possíveis. Concluímos que todos os desenhos eram bem diferentes, porque somos muito diferentes, somos únicos pra Deus e Ele nos ama igualmente.

Colocamos um tapete, uma música suave, apagamos as luzes  e durante 3 minutos  pedimos que tentassem se lembrar de algo feio que tivessem feito durante a semana (brigado com o colega, malcriação pra mamãe  e etc.). Acendemos as luzes e perguntamos quais as atitudes eles deveriam ter tido no lugar da atitude tomaram.

Explicamos que Deus fica triste quando nós, Seus filhos queridos, temos atitudes e sentimentos ruins. Então, precisamos renovar nossas atitudes, jogando fora tudo de ruim e deixando no nosso coração só sentimentos bons. É assim que evoluímos!

Colamos um boneco na parede com vários sentimentos (bons e ruins) fixados nele. Colocamos a lata de lixo da sala ao lado do boneco e eles decidiram o que ficaria no boneco e o que iria para lata do lixo.


Cada um decorou o seu espelho com desenhos em EVA.



A LANTERNA DA VERDADE

Frase: O conhecimento é a luz da VERDADE, que deve ser acesa para que todos possam ver melhor.

Atividade proposta : Escrevemos com letras grandes a frase acima e cortamos em pedaços (cada pedaço uma palavra), numeramos o verso, pois trabalhamos com o jardim, escondemos os pedaços pela sala antes da aula começar. Apagamos a luz, entregamos uma lanterninha para cada um e pedimos que, com a ajuda das lanternas, os evangelizandos procurassem os pedaços que estavam escondidos. Quando todos os pedaços foram achados, ainda com a ajuda das lanternas, montamos um cartaz colando as palavras e formando a frase.
Lemos e explicamos que quanto maior é o nosso conhecimento, mais fácil fica encontrar a verdade. E quando dividimos o nosso conhecimento com outra pessoa, ajudamos o outro a encontrarem a verdade.
Fizemos uma analogia da lanterna com o conhecimento, mostrando como podemos dividir mossa luz, ajudando os outros a verem melhor, a encontrarem a verdade (colocamos o foco da luz da lanterna na palavra  VERDADE  em destaque na frase.)

Contamos " A História do Juquinha ". Falamos que temos que ser sempre sinceros, pois temos uma luz em nosso coraçãozinho, e sempre que falamos a verdade, essa luz brilha mais forte e ainda. Nosso anjinho da guarda fica muito feliz com a nossa atitude! E cada vez que ela brilha mais um pouco, é um passo que estamos dando para a nossa felicidade.

Utilizamos um fantoche, e contamos duas histórias para eles, cada uma com dois finais, para decidirem o melhor final:

História 1: João estava jogando bola na rua. Ele era um ótimo jogador de futebol, e sempre jogava bola com seus amiguinhos. Um dia, João foi dar um chute na bola, e sem querer ela desviou do  gol e foi direto na janela do vizinho, quebrando o vidro. O que ele deve fazer?

História 2: Beatriz estava na sua festa de aniversário. Ela estava brincando muito, e ficou com fome e sede. Ao passar pela mesa, que estava cheia de doces, salgados e sucos ela resolver pegar um salgado para comer, porém, sem querer, ela esbarrou num copo de suco que derramou por toda mesa, molhando tudo que estava próximo. A mãe dela chegou, e quando viu um monte de suco derramado pela mesa, perguntou quem havia derramado. E agora, o que ela deve dizer?

O fantoche deu como opções primeiro uma mentira, depois uma verdade. Dentro dele colocamos uma lanterna, quando falava a verdade a lanterna se acendia e quando mentia, a lanterna ficava apagada.

Cada evangelizando decorou sua lanterna com adesivos.




O ÓCULOS DA JUSTIÇA

Frase: Para sermos JUSTOS precisamos conhecer as pessoas e os fatos com a maior clareza possível, sem julgamento precipitado.

Atividade proposta: Apresentamos algumas figuras com ilusão de ótica para que percebessem que nem tudo é o que parece ser, algumas vezes nos enganamos com as aparências das coisas.


Apresentamos UMA encenação baseada na historia " O Roubo ", com algumas adaptações. 
Dona Justina (a justa) foi chamada na escola para descobrir o que realmente aconteceu. Ela narrou os fatos (contando a história), para que os evangelizandos dissessem quem poderia ter roubado a TV. Foi com a ajuda dos óculos da justiça que tudo foi esclarecido e todos aprenderam a não julgar precipitadamente, com base apenas em suposições, sem a certeza dos fatos.
Confeccionamos uma TV e o suporte que foi colado na parede da sala de evangelização.






Cada evangelizando recebeu um óculos para montar e decorar. Quando finalizaram o óculos, citamos algumas situações: quando estamos na rua e uma pessoa desconhecida se aproxima de nós, quando estamos sentados perto de um amigo e algum objeto nosso desaparece, quando alguém faz algo errado e não sabemos quem foi e acusamos o amigo que sempre faz bobagem. Chegando a conclusão de que não devemos julgar sem realmente saber o que aconteceu de verdade.








domingo, 16 de fevereiro de 2014

A BÚSSOLA DO BEM


Frase: Nosso norte é o BEM. Quem sabe aonde quer chegar, escolhe o melhor caminho.

Atividade proposta:  Dialogamos com as crianças, perguntando:
Vocês sabem o que é uma bússola? Pra que serve? Quando ela é usada?
Mostramos a bússola e explicamos como funciona (ajuda a nos guiarmos, para não nos perdermos, seguir o caminho correto).
Qual o caminho certo? Prática do bem.
Como sabemos que estamos no caminho certo?
A bússola nos ajuda quando estamos perdidos.
Se usarmos a bússola do bem, nunca nos perderemos no caminho.
Quem sabe onde quer chegar escolhe o melhor caminho e chega mais rápido ao objetivo.
Contamos a história “A Bússola Mágica”, usando uma caixa com diversos acessórios para ilustrar os momentos da história.


Depois cada evangelizando confeccionou  a sua bússola. Usamos duas tampas plásticas de requeijão, durex colorida,  colchete (bailarina), o mostrador da bússola colado em papelão duro para ficar mais resistente e pedaço de canudo entre a tampa e mostrador para que pudesse girar.