Google+ Followers

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O Bom Uso da Palavra

A aula desse sábado (27/08/2016) teve com objetivo fazer os evangelizandos refletirem que, o que expressamos através das palavras, mostra os sentimentos que carregamos dentro do coração.

A companheira Cíntia Machado expôs os cartazes abaixo.



Pediu para cada evangelizando colocar a mão por dentro das bocas e pegar um item dentro de cada coração. 

Dentro do coração da boca bonita colocou pirulitos em forma de coração com palavras doces anexadas neles (gentileza, gratidão, carinho, amor, fé e etc).



Dentro do coração com a boca feia colocou limões e pimentas de plástico, simbolizando palavras azedas e que ardem a alma (raiva, palavrões, gritos, berros, falta de educação, egoísmo e etc).



Conversou com eles, dizendo que a boca fala o que o coração está cheio.

Pessoas que tem gratidão no coração, dizem obrigada, quem tem gentileza, diz: posso ajudar? Quem tem fé no coração, usa as palavras pra fazer prece e assim por diante.

O mesmo acontece com as pessoas que não carregam sentimentos bons no coração. Sentem raiva e falam palavrões, ferem o outro através de palavras que magoam, gritam e não são gentis.


Concluiu que, quando nutrimos sentimento bons no coração e expressamos amor através das palavras, somos felizes, fazemos os outros felizes e conquistamos muitos amigos, pois ninguém gosta de ter por perto pessoas mal humoradas.

Entregou a cada evangelizando uma boquinha bonita colada em um canudo.



A evangelizadora, com uma boquinha feia, proferiu palavras desagradáveis.



Cada evangelizando teve que trocá-la por uma palavra boa.

Exemplos: 

Feia/ bonita
Saia da minha frente/ Com licença
Tenho raiva de você/ Eu te adoro



Depois pediu  para que desenhassem uma situação que expressasse o tipo de sentimento que eles desejam ter dentro de seus corações, foi entregue a cada evangelizando uma folha com o contorno de um coração, para que se expressassem livremente.





sábado, 20 de agosto de 2016

Atividade para o tema Paz

Quando fui na Feira Cultural do colégio do meu filho, vi a exposição de um trabalho realizado pela turma do 3º ano do ensino fundamental, com base na música Paz pela Paz do Nando Cordel. Não resisti e tirei uma foto, pois achei muito interessante!

 No centro do painel a letra da música e em volta, corações grandes com corações menores colados, tudo bem colorido. O coração menor, foi cortado ao meio, formando uma janela que aberta, mostrava o planeta Terra. No coração maior, cada criança escreveu uma mensagem. 


Sintonia - Jardim

Aula aplicada pela companheira Carolina Higino, nesse sábado (20/8/16)

PRIMEIRO MOMENTO: História 

A nuvenzinha Fátima

Tinha uma nuvenzinha que se chamava Fátima. Ela adorava fazer faxina.
Ela adorava varrer o céu. O seu alvo principal eram as nuvens escuras formadas pelo pensamento ruins das pessoas.
 
Nuvenzinha Fátima

Quando essas nuvens escuras caiam em forma de chuva, suas gotas faziam muito mal a todos.
Só que a coitadinha da Fátima não parava de limpar. Pois ela limpava e logo as pessoas tinham maus pensamentos e novas nuvens escuras se formavam de novo.

Outras figuras usadas para contar a história


Como podemos ajudar a Nuvenzinha? Esperar até que respondam que é preciso mudar os pensamentos, então explicar que mudando a forma de pensar mudamos nossos sentimentos.

Comentar que quando tratamos as outras pessoas com agressividade, seja ela física ou verbal, ou quando não ajudamos quem precisa, ou quando somos egoístas; nosso pensamento reflete nossas atitudes e parece que somos envolvidos por uma nuvem escura e pesada, pois atraímos para nós energias e vibrações ruins que nos fazem mal.

SEGUNDO MOMENTO: Então vamos ajudar a nuvenzinha Fátima a fazer faxina?

Colar na parede uma nuvem negra com figuras de atitudes negativas, que representam os sentimentos que nos afetam negativamente (raiva, egoísmo, intolerância, agressividade, mau-humor, desonestidade, etc.). 



Pedir aos evangelizandos que falem palavras que representem coisas boas (bons sentimentos, boas atitudes, pessoas que fazem o bem). Escrever essas palavras em pequenas nuvens impressas em papel branco e colar na nuvem escura até que fique branca. 



Uma outra ideia é usar o molde da nuvem escura, com uma nuvem branca com figuras de boas atitudes e ir colando como um quebra-cabeça.



Sugestão de palavras para ajudar: Amor - fé - perdão - carinho - bom-dia -beleza - sorriso - flor - Jesus - Mãe - Pai - caridade - felicidade - paz - ternura -harmonia - dividir - ajudar - doar.





TERCEIRO MOMENTO: 

Entregar aos evangelizandos nuvens com figuras de boas atitudes. 






Pedir que cada um escolha uma atitude e que se comprometa a sempre agir daquela forma. Pedir para pintarem com cores bem alegres. Colar algodão nas nuvens, em volta das figuras.








Reforçar: Não podemos nunca esquecer que Jesus nos ensinou a tratar o nosso semelhante da mesma forma como gostamos de ser tratados, sempre com respeito e muito amor.


QUARTO MOMENTO: Fixação


Colocar em um saco (ou em uma caixa) balões com atitudes positivas e negativas. 




Colar na parede a figura da menina feliz e do menino aborrecido. 



Cada evangelizando sorteará um balão e colará em volta da figura correspondente. Reforçar que as energias que envolvem cada um deles é resultado do pensamento, da sintonia que cada um está apresentando no momento e que depende de cada um atrair as energias boas para si.









A Paz no mundo começa em mim

Usando as imagens abaixo presas em um palito de churrasco, contar a história “A Florzinha Amorosa, como um teatrinho.





Ainda usando as figuras, dialogar com os evangelizandos sobre a história.
- O que vocês acharam da atitude da Orquídea Amarela?
- E da atitude do Lírio Branco?
- Qual dessas flores agiu como verdadeiro cristão?
- O que a Petúnia sentiu depois que a chuva passou e as borboletas foram embora?
- Qual dessas flores vocês gostariam de ser? Por quê?
- Como nós podemos colaborar para que todos os moradores da Terra se tornem uma só família?


Concluir que aprendemos com nosso Mestre Jesus que somos todos irmãos, filhos de um mesmo Pai que é Deus, por isso devemos amar nosso próximo como a nós mesmos.

ATIVIDADE:

Ouvir com os evangelizandos a música “Paz pela Paz” de Nando Cordel


PAZ PELA PAZ (Nando Cordel)

A paz do mundo
Começa em mim
Se eu tenho amor,
Com certeza sou feliz
Se eu faço o bem ao meu irmão,
Tenho a grandeza dentro do meu coração
Chegou a hora da gente construir a paz
Ninguém suporta mais o desamor

Paz pela paz - pelas crianças
Paz pela paz - pelas florestas
Paz pela paz - pela coragem de mudar.
Paz pela paz - pela justiça
Paz pela paz - a liberdade
Paz pela paz - pela beleza de te amar.

A paz do mundo
Começa em mim
Se eu tenho amor,
Com certeza sou feliz
Se eu faço o bem ao meu irmão,
Tenho a grandeza dentro do meu coração
Chegou a hora da gente construir a paz
Ninguém suporta mais o desamor

Paz pela paz - pro mundo novo
Paz pela paz - a esperança
Paz pela paz - pela coragem de mudar.
Paz pela paz - pela justiça
Paz pela paz - a liberdade
Paz pela paz - pela beleza de te amar.

 Explicar que quando praticamos a Lei de Amor que Jesus nos ensinou, fortalecemos a Paz dentro de nós, e essa paz irradia com um Sol para o mundo todo.

Montar um painel, tendo a figura do Sol ao centro e o título “A Paz no Mundo começa em Mim”.




Disponibilizar revistas e livros para que procurem imagens que transmitam sentimento de paz como: pessoas abraçadas, família feliz, natureza, amor, liberdade, cuidado com os animais, etc. 

Ou fornecer as imagens, direcionando o trabalho de outra forma, pedindo que cada um escolha uma figura de cada vez, diga por que a imagem transmite paz e cole a imagem no painel, se houver tempo, pode usar imagens para colorirem antes de colarem no painel.

A Florzinha Amorosa


Era uma vez três borboletas que voavam alegres de flor em flor num jardim. De repente, caiu uma chuva forte. As borboletas corriam para todos os lados à procura de um abrigo quando viram uma linda orquídea amarela onde poderiam pousar.
A Borboleta Amarela aproximou-se e falou com doçura: - Amiga Orquídea Amarela, nós podemos nos abrigar em suas pétalas até passar a chuva?
A Orquídea Amarela respondeu aborrecida: - Nada disso! Não sou guarda-chuva! Você não vê que sou uma flor rara? Procure outro lugar para se abrigar, a chuva é um problema de vocês.
As borboletas levaram um susto com a agressividade da orquídea. Voaram para longe até que viram um lírio muito branco.
A Borboleta Branca voou até o Lírio Branco e perguntou com brandura: - Sr. Lírio Branco, poderíamos nos abrigar nas suas pétalas até passar a chuva?
O Lírio Branco orgulhoso respondeu: - Você pode porque é branca como eu, mas as outras... elas não! Eu não me misturo!
A Borboleta Branca ficou decepcionada e disse: - Então nada feito! Só ficarei se pudermos ficar juntas.
E as três borboletas voaram juntas e viram uma linda Petúnia Roxa.
A Borboleta Azul resolveu se aproximar e perguntou: - Amiga Petúnia Roxa, será que poderíamos nos abrigar nas suas pétalas até passar a chuva?
A Petúnia Roxa respondeu gentilmente: - Claro que sim. Vou procurar abrir um pouco mais as minhas pétalas para poder abrigar vocês três. É uma grande alegria poder ser útil!
As três borboletas responderam juntas:- Obrigada, obrigada, obrigada...

As borboletas se abrigaram em baixo das pétalas da Petúnia, mas logo a chuva passou e o Sol bem forte apareceu, secando as asas das borboletas enquanto voavam alegremente. Uma grande amizade surgiu entre as borboletas e a Petúnia, que naquele momento sentiu uma PAZ muito grande.

Paz na Escola

Iniciar a aula contando essa pequena história:

Era uma vez um garotinho que sonhava sempre com a paz.
Certo dia descobriu que a vida só teria sentido quando ele encontrasse a paz e foi justamente nesse dia que saiu procurando a paz.
O primeiro lugar em que procurou foi na escola onde ele estudava. Lá, ele encontrou os seus amigos que tinham um belo sorriso nos lábios e foi nesse momento que ele percebeu que o sorriso dos seus amigos transmitia a paz. Ele percebeu que a paz existe dentro de cada um de nós, para isso basta dar um sorriso.
Nesse instante, o garotinho sorriu e toda turma gritou bem forte:
- Então, você encontrou a paz que procurava?
O garotinho respondeu muito feliz:
- Sim! Eu encontrei a paz, pois ela existe em cada um de nós, basta saber dar um sorriso bem bonito.

Após contar a história, pedir que os evangelizando contem com suas palavras o que aconteceu na história, pode estimular com perguntas direcionadas.

Com que o garotinho sonhava? Com a paz.
O que ele precisava encontrar para que sua vida tivesse sentido? Ele precisava encontrar a paz.
O que ele resolveu fazer? Sair procurando a paz.
Qual foi o primeiro lugar que ele procurou? A escola.
E o que ele encontrou na escola? Seus amigos com um belo sorriso nos lábios.
E o que ele percebeu quando viu os amigos sorrindo? Que a paz existe dentro de cada um de nós, basta dar um sorriso.
E nós podemos encontrar a paz? Sim. 
O que precisamos fazer? Sorrir

Sorrimos quando ficamos felizes, e só podemos ficar feliz se encontrarmos a paz. Mas o que é encontrar a paz?
- é respeitar o outro, mesmo quando não somos respeitados;
- é aceitar o outro como ele é, sem preconceitos, sem críticas, sem julgamentos;
- é praticarmos o bem e não sermos violentos e agressivos, mesmo com aqueles que são violentos e agressivos conosco;

Será que aprendemos o que o Mestre Jesus nos ensinou? Que devemos amar o próximo e pagar o mal com bem?


ATIVIDADE:

Montar um cartaz com desenhos de crianças com atitudes agressivas e egoístas, disponibilizar desenhos de crianças em atitudes opostas às do cartaz, os evangelizandos vão escolher um desenho para colorir e depois colar do lado da figura do cartaz.

Montar o cartaz com duas colunas


Quando alguém... 

eu...

me empurrar
abraço


gritar
falo baixo.


 
Título do cartaz

Título das colunas