Google+ Followers

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Construindo um Mundo Feliz

Criar uma maquete de um pequeno povoado usando um isopor, com ruas previamente desenhadas e no centro uma praça. Prender as casas (ver atividade "Construindo um Lar Feliz") em palitos e fixar na maquete deixando algum espaço entre elas.

Manter um diálogo com os evangelizandos, mostrando que ainda está faltando algo em nosso povoado. Como as pessoas que convivem conosco saberão que as amamos? Quando amamos alguém, basta que digamos isso à pessoa amada? Deixar que opinem livremente.

Levá-los a perceber que o amor exige demonstrações práticas, pois se dizemos amar um amigo, mas não estamos com ele nos momentos de dificuldade, não o tratamos bem, quando ele não está em condições de ser muito legal conosco, não procuramos ajudá-lo em nada, não procuramos fazer a vida dele mais feliz, então nosso amor é apenas da boca para fora.

Com sua vinda a Terra, Jesus provou, com atitudes, que ama a humanidade, porque demonstrou seu interesse de nos ajudar a evoluir. 

Será que adianta falarmos que amamos essa ou aquela pessoa, que amamos a natureza, se nossas ações não comprovam isso? 

Jesus nos disse para fazermos ao outro somente aquilo que gostaríamos que o outro nos fizessem. 

Pedir a cada um que pense em uma atitude, uma ação, um sentimento que demonstre o seu amor pelo próximo. 

Entregar uma árvore (com uma copa grande) a cada um para que escrevam ou desenhem o que pensaram, pintem e então plantem a sua árvore no povoado. 


As árvores serão coladas na praça e também nos espaços entre as casas, de acordo com a preferência de cada evangelizando.

Construindo um Lar Feliz

Narrar a história, fazendo a dobradura de uma casa (ensinar a dobradura aos evangelizandos, passo a passo, sempre aguardando que todos cheguem onde você está para mostrar o passo seguinte). 


Era uma vez, alguém que ganhou um livro.



E ao abrir este livro, conheceu um mundo novo.

Era como se a janela da sua alma se abrisse para uma nova realidade.


E, então, resolveu sair em busca de tudo o que havia visto naquelas páginas. De um lugar onde houvesse ao mesmo tempo carinho compartilhado e oportunidades de servir, mas onde se pudesse aprender lições importantes, enriquecendo a inteligência. 
Um lugar onde exercitar todos os dias as virtudes que nos conduzem à felicidade e onde a felicidade, mais do que em qualquer outro lugar, tivesse chance de nascer, como o Sol, todos os dias.
Só que ele descobriu que este lugar não existia!
Cada criatura é que precisava construí-lo, com seus sonhos, com seus sentimentos, com sua dedicação, com pequenos gestos de atenção. E ao construí-lo...


… compreendeu o que ele era. Era o LAR.






Explicar que nós sabemos que há casas onde esta harmonia não existe, mas com certeza existem sentimentos que tornam essa casa um lar feliz. 

Nós podemos construir nossa felicidade a partir desses sentimentos. 
Pedir para que pensem: “Qual é o ingrediente mais importante de um lar feliz?”. 
Cada um deve escrever esse ingrediente que acha o mais importante para que o seu lar seja feliz na sua casinha, que deve ter o seu nome. Depois deverão pintá-la como quiserem.

A Chave do Coração

O objetivo é levar o evangelizando a compreender que a felicidade de cada um de nós, depende das nossas atitudes, da forma como agimos e enxergamos o que existe a nossa volta.

Ouvir a música JANELAS DO MEU CORAÇÃO (César Tucci)

Pela vidraça eu vejo o mundo à minha frente
Pela janela do meu coração
E se o vidro tiver cores diferentes
O mundo ganha outra coloração
Se eu estou triste tudo fica meio cinza
Se estou alegre logo muda o tom
Se tô com raiva então a coisa fica preta
E fico achando que nada tá bom
Mas, se eu quiser olhar o mundo de verdade
E ver as coisas com o elas são
Eu tomo a chave do amor, da caridade
E abro a janela do meu coração

Explicar que cada um de nós tem a chave do seu próprio coração e somos nós que colocamos os sentimentos dentro dele. Somente nós podemos escolher o que queremos em nosso coração: quando alguém nos magoa, podemos guardar a mágoa, ou podemos perdoar e guardar o perdão. Quando alguém nos faz um mal, podemos guardar a raiva e ficar sempre lembrando e revivendo aquilo ou podemos fazer uma prece, guardando o auxílio em nosso coração. Se acontecer algo que nos entristeça, podemos guardar a tristeza, ou podemos buscar coisas que encham nosso coração de alegria.

Entregar para cada evangelizando uma folha de papel A4 com um coração grande (1/2 da folha A4) de cartolina vermelha, com o título “Meu Coração”. O coração deve ter uma janela recortada que eles consigam abrir. 

Entregar uma chave, com as palavras amor e caridade escritas, para cada um, explicando que cada um deles deve abrir a janela do coração e colocar dentro do coração: 

Para evangelizandos maiores, que já escrevam: sentimentos bons que acreditem serem importantes para transformá-los em pessoas melhores do que já são, sentimentos bons que eles já possuem, sentimentos bons que eles acham possíveis conquistar ainda nessa encarnação.

Para os evangelizandos menores, que ainda não escrevam: disponibilizar figuras de atitudes que representem os sentimentos que eles já possuem, disponibilizar figuras de atitudes boas e ruins para que escolham, refletindo com eles sobre as figuras, para que reflitam e escolham os bons sentimentos que já possuem. 

No final eles deverão colar a chave na folha A4, ao lado do coração, que ficará com a janela aberta. Montar um painel com todos os corações juntos.

A Pedra Preciosa

Contar a história "A Velha Sábia"

Montar um riacho e dispor várias pedras decorativas que imitam pedras preciosas, numeradas, correspondendo a cada característica do homem de bem listadas abaixo. 

1) Caridoso - Pratica a máxima: “fazer aos outros o que gostaria que fizessem por ele”.
2) Confiante - Aceita a vontade de Deus, confiando na Justiça Divina, enquanto faz a sua parte.
3) Espiritualizado - Coloca os bens espirituais acima dos bens materiais, pois sabe que a vida serve para a evolução intelectual, moral e espiritual.
4) Resignado - Sabe que o sofrimento e as dores da vida são oportunidades de crescimento espiritual.
5) Benevolente - Faz o bem sem esperar recompensa; paga o mal com o bem.
6) Humilde - Pensa nos outros antes de pensar em si mesmo; encontra alegria em auxiliar o próximo e ser caridoso.
7) Justo - É bom para com todas as pessoas, sem distinção de raça ou crença, pois sabe que todos os seres humanos são filhos de Deus.
8) Indulgente - Respeita as imperfeições alheias.
9) Clemente - Perdoa seu próximo. Não guarda ódio, nem rancor.
10) Consciente - Sabe que o corpo físico e os bens materiais são empréstimos de Deus e procura fazer o bem.
11) Responsável - Respeita os seres humanos e a natureza, sentindo-se parte da criação divina. Sabe que é responsável por suas ações, palavras e pensamentos.

Pedir a cada evangelizando que escolha uma pedra e diga o número que está nela. O evangelizador lerá a definição correspondente e pedirá que o evangelizando dê exemplos referente àquela característica, o objetivo é refletir sobre as características que formam o Homem de Bem.

A Velha Sábia

Uma mulher velha e sábia fazia uma viagem através das montanhas quando, no leito de um rio, encontrou uma pedra preciosíssima.

Velha: - Nossa que pedra bonita! Não serve para mim, mas pode ser que sirva para alguém. Vou guardá-la!

No dia seguinte, continuando o seu caminho, deparou-se com um viajante que tinha fome.

Viajante: - Senhora... Por favor, a senhora poderia me ajudar, dando algo de comer. Estrou com muita fome!

Para atender ao seu pedido de ajuda, a mulher abriu a bolsa para dividir com ele a comida.

Velha: - Claro meu filho! Deixe-me ver o que tenho para dividir com você.

O homem deslumbrou-se com a visão da pedra e pediu à mulher que lhe desse de presente.

Viajante: - Nossa, que pedra linda! A senhora poderia me dar de presente se não a quiser mais?

O que ela fez sem hesitar.

Velha:- Sim, meu filho! Pode ficar com ela, não me tem nenhuma serventia, mas eu sabia que um dia encontraria alguém a quem ela servisse.

O viajante se foi, rejubilando-se por sua sorte... Aquela pedra poderia garantir-lhe segurança e bem-estar por toda a sua vida.

Viajante: - Agora estou rico! Nunca mais passarei necessidade, esta pedra vai salvar a minha vida. Que sorte eu tive!

Mas, alguns dias depois, ele voltou à procura da mulher... 

Viajante: - Olá, senhora! Lembra-se de mim?

Velha: - Claro! Como está, meu filho?

Viajante: - Vou bem! Eu pensei muito e sei bem o valor dessa pedra, mas venho devolvê-la. O que eu quero é algo muito mais precioso... Se for possível, me dê o que está dentro da senhora e que a fez capaz de entregar-me sem hesitação um tesouro como esse.

Velha: - Bem, meu filho! Aprendi a amar... Aprendi a desapegar-me ... Aprendi a ser inteira, ser livre. Mas são aprendizados muito difíceis, que requerem fé em Deus, fé na vida, confiança nas pessoas e no futuro.


Viajante: - E como consigo ser assim igual a senhora?

Velha: - Somente duas coisas podem nos ajudar nessa tarefa: Primeiro, o tempo, que através do estudo e do trabalho digno nos amadurece, e nos faz mais humildes. E em segundo a espiritualidade, que nos dá o conhecimento interior e, com ele, a certeza de não nos perdermos no caminho.

Viajante: - Aprendi agora os verdadeiros valores que eu tanto procurava! A fé e a esperança me ensinando a valorizar o que é realmente importante. Serei um novo homem!

sábado, 24 de setembro de 2016

Homem de Bem

O objetivo da aula desse sábado (24/09/16) foi levar os evangelizandos a compreenderem que nossas atitudes afetam o mundo ao nosso redor, e por isso devemos nos esforçar para modificá-las e nos transformarmos no verdadeiro Homem de Bem, que cumpre integralmente a Lei de Justiça, Amor e Caridade, ajudando a construir um mundo melhor.


PRIMEIRO MOMENTO: POR QUE A TERRA ESTÁ TRISTE?
Apresentamos aos evangelizandos a imagem do planeta Terra triste.

Modelo para impressão

Figura apresentada


Questionamos: “Quem sabe por que a Terra está triste?” Ouvimos as respostas e explicamos que essa tristeza é resultado do nosso comportamento, pois nós somos os moradores da Terra e nossas atitudes influenciam o planeta que vivemos. 

Lembramos que Deus criou Universo, o nosso planeta e tudo que existe na natureza: minerais, vegetais, animais e os homens. Deus criou tudo isso para viver em harmonia, mas nós (a humanidade) não estamos agindo como deveríamos. 

Passamos uma sacola com figuras das atitudes que deixam o planeta triste. 






Cada evangelizando retirou uma figura e identificou porque aquela atitude deixa a Terra triste. 

A sacola circulou para que os evangelizandos pegassem uma figura. Prendemos a imagem da Terra triste na parede e pedimos para que colasse sua figura em volta do planeta triste. Como apenas seis evangelizandos estavam presentes, circulamos a sacola mais uma vez e cada evangelizando pegou e colou duas figuras.




SEGUNDO MOMENTO: VAMOS MUDAR?

Depois que terminaram de colar as figuras, explicamos aos evangelizandos que a construção de um mundo melhor, mais feliz para vivermos, só depende de nós mesmos, das nossas atitudes, do nosso comportamento a cada dia. Se nós queremos ajudar a construir um mundo melhor, um mundo mais feliz, nós precisamos começar a modificar as nossas atitudes e os nossos comportamentos, precisamos nos tornar HOMENS DE BEM.

O ESE, nos fala que “O verdadeiro homem de bem é aquele que pratica a Lei de Justiça, Amor e Caridade, na sua maior pureza.” 


Apresentamos as figuras abaixo: 


Figura apresentada

Modelo para impressão


Figura apresentada

Modelo para impressão
Figura apresentada

Modelo para impressão


Dialogamos com os evangelizandos, pedimos que nos dessem exemplos de atitudes de justiça, amor e caridade.

Prendemos as definições na parede.




TERCEIRO MOMENTO: AJUDANDO A TERRA A SER FELIZ

Mantendo o diálogo, questionamos: 
Agora já nós sabemos como o Homem de Bem age não é mesmo? 
Se o planeta Terra fosse habitado somente por Homens de Bem, será que seria um planeta triste? 

Quem quer que a Terra fique feliz?

Apresentamos a imagem do planeta Terra feliz e prendemos na parede.

Modelo para impressão
Figura apresentada

Então o que temos que para fazer para que a Terra fique feliz? 
Concluímos que é simples, a Terra só será feliz quando todos nós nos tornarmos Homens de Bem e cumprirmos a Lei de Justiça, Amor e Caridade em todos os momentos da nossa vida.

Propomos que os evangelizandos, uma a um, voltassem na parede e vissem as atitudes dos homens que deixaram a Terra triste, questionamos "será que elas estão de acordo com o modo de agir do homem de bem?" Pedimos que escolhessem uma das figuras coladas ao lado do planeta triste e dissesse como o Homem de Bem age naquela situação, disponibilizamos figuras com atitudes boas (contrárias às coladas no planeta triste: agressão x amizade) para que identificassem como sendo as atitudes do Homem de Bem.


///




Cada um coloriu duas figuras e colou em volta da Terra feliz.








ATIVIDADE: DESENHO LIVRE

Entregamos a cada evangelizando 1/2 folha A4 com o desenho abaixo para que desenhassem dentro do coração a atitude do Homem de Bem que cada um já pratica no seu dia-a-dia.


sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Perdão na Família

Aula aplicada sábado (17/09/16) pela companheira Cíntia Machado.

Iniciou a aula contando a história dos Porcos-espinhos na era glacial.








Comparou a história com o relacionamento em casa, com os pais, os irmãos, os parentes que convivem mais diretamente conosco, e que muitas vezes nos ferem, mas que não podemos ficar longe deles.

Depois apresentou a "BATATA" como se fosse um porco-espinho (uma batata crua e grande, com palitos de dente espetados, previamente envolvidos com um pedaço de papel com situações que normalmente ocorrem e que nos deixam aborrecidos).







Essas foram as situações que usamos.

DEIXAR A TOALHA MOLHADA EM CIMA DA SUA CAMA.
BATER A PORTA QUANDO SAI.
FAZER PUM PERTO DE VOCÊ.
MEXER NAS SUAS COISAS.
CHAMAR SUA ATENÇÃO QUANDO VOCÊ ESTÁ ERRADO.
NÃO DAR BOM DIA.
DIZER “NÃO” PARA ALGO QUE VOCÊ QUER MUITO FAZER.
FICAR MAL HUMORADO SEM DIZER O MOTIVO.
NÃO DEIXAR VOCÊ MEXER NO COMPUTADOR.
CHUTAR SEU CHINELO PARA BAIXO DA CAMA.
QUEBRAR SEM QUERER SEU BRINQUEDO PREFERIDO.
QUEBRAR DE PROPÓSITO SEU BRINQUEDO.
DEMORAR NO BANHO.
XINGAR VOCÊ.
OCUPAR O SOFÁ SOZINHO.
OUVIR MÚSICA COM SOM ALTO.
ESCREVER NO SEU CADERNO.
USAR SUA ROUPA SEM PEDIR.
PEGAR SEU DINHEIRO SEM PEDIR.
EMPRESTAR SEU BRINQUEDO AO VIZINHO.
COMER O ÚLTIMO BIFE.
FICAR TE CUTUCANDO.
FICAR TE PROVOCANDO.
FICAR GRITANDO NO SEU OUVIDO.
NÃO EMPRESTAR DINHEIRO QUANDO VOCÊ PRECISA.
NÃO EMPRESTAR UM BRINQUEDO QUANDO VOCÊ PEDE.
NÃO JOGAR VÍDEO GAME COM VOCÊ.
FALAR MAL DE VOCÊ PARA SUA MÃE.
NÃO QUERER BRINCAR COM VOCÊ.
SUA MÃE ESQUECER-SE DE LAVAR SEU TÊNIS.
NÃO DIVIDIR O ÚLTIMO PEDAÇO DO BOLO.
ESCONDER UM DOCE PARA COMER SOZINHO.
COMER O ÚLTIMO SORVETE DA GELADEIRA.
COMER O PACOTE INTEIRO DE BISCOITO.
TOMAR O RESTO DO REFRIGERANTE SOZINHO.
FAZER BAGUNÇA NA SUA CAMA.
ESPALHAR TODOS OS BRINQUEDOS E NÃO AJUDAR A GUARDAR.
NÃO COMPRAR O QUE VOCÊ QUER.
NÃO DEIXAR VOCÊ COMER DOCE TODA HORA.
OBRIGAR VOCÊ A COMER FRUTAS E LEGUMES.
NÃO DEIXAR VOCÊ VER FILMES INDICADOS PARA CRIANÇAS MAIORES.

Cada evangelizando retirou um papel do palito.





Colou numa cartolina.




Disse se perdoava ou não. Se perdoasse, desenhava um coração ao lado da situação.



Entregou uma batatinha pequena, palitos e pediu para cada evangelizando confeccionar seu próprio  porco espinho. 






Pediu para colocarem todos bem juntinhos, simbolizando a família.





Para finalizar, entregou um desenho dos porcos espinhos para colorirem.