Google+ Followers

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Confecção do Morcego - atividade

Vamos agora mostrar como fizemos o morcego, que serviu como atividade para a aula sobre a prece, aplicada nesse sábado (29/10/16). Já havíamos feito uma outra vez e como os evangelizandos adoram, resolvemos repetir.

Após contar a história "A Salvação Inesperada", confeccionamos esse morcego fofo. 

O engraçado foi que uma das evangelizandas falou "Nossa tia, que nojo! Morcego é muito nojento!". Aproveitamos para lembrar que na história o morcego foi o responsável pela salvação de todas as pessoas que estavam viajando no trem, e que o maquinista reconheceu a bondade de Deus, que usou um animal pavoroso, como o morcego, que tantas pessoas tem medo e nojo, para salvar todos eles.

Levamos tudo já praticamente pronto, para que os evangelizandos colassem as partes, assim ficou bem mais fácil e deu tempo de todos confeccionarem o seu.


Rolo de papel higiênico encapado com papel glacê, nem precisa colar, só dobrar as sobras para dentro do rolo.

Encapando assim.

Dobrar uma das extremidades para formar as orelhas

Também não precisa colar, basta dobrar.

Fornecer olhos, dentes e um pedaços de lastex.

E as asas, que foram feitas com papel glacê dobrado, para ficar azul dos dois lados.

Lembrar que a parte do rolo que ficou com a emenda do papel, deve ficar para as costas, onde iremos prender as asas fixando o lastex por baixo .




E a parte lisa, sem emenda, usar para colar os olhos e os dentes.



O resultado foi um sucesso, adoraram! 

Também, ficou muito fofo!


Nossa coordenadora, Graça Borges, foi dar uma ajudinha na hora da confecção.






A Salvação Inesperada - Meimei - adaptação

Usando brinquedos como recurso, contamos a história “A Salvação Inesperada”, adaptada.





Em um dia muito chuvoso, um maquinista, cheio de fé em Deus, começando a acionar a locomotiva com o trem repleto de passageiros para uma longa viagem, fixou os olhos no céu escuro e repetiu, com sentimento sincero, a oração dominical do Pai Nosso.O comboio percorreu léguas e léguas, dentro das trevas densas.

Quando, alta noite, ele viu, a luz do farol aceso, alguns sinais que lhe pareceram feitos pela sombra de dois braços angustiados a lhe pedirem socorro.



Emocionado, fez o trem parar, de repente, e correu pelos trilhos de ferro, procurando verificar se ele e os passageiros estavam ameaçados de algum perigo.



Depois de alguns passos, ele foi surpreendido por uma gigantesca inundação poucos metros a frente, que, invadindo a terra com violência, destruiu a ponte que o comboio deveria atravessar.

O trem fora salvo, milagrosamente.

Tomado de infinita alegria, o maquinista procurou a pessoa que lhe fornecera o aviso salvador, mas ninguém aparecia. Intrigado, continuou na busca, quando encontrou no chão um grande morcego agonizante. O enorme voador bateu suas asas à frente do farol, em forma de dois braços agitados, e caiu sob as engrenagens. 



O maquinista retirou-o com cuidado e carinho, lembrou-se de sua oração sincera, invocando a proteção de Deus, antes de partir em viagem. 

E, ali mesmo, ajoelhou-se, ante o morcego que acabava de morrer, exclamando em alta voz: “Pai Nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome, venha a nós o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na Terra como no Céu: o pão nosso de cada dia dá-nos hoje, perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos os nossos devedores, não nos deixes cair em tentação e livra-nos do mal, porque teu é o reino, o poder e a glória para sempre. Assim seja.” 

Quando acabou de orar, grande quietude reinava na paisagem. O maquinista chorava de emoção e reconhecimento, agradecendo ao Pai Celestial, que salvou sua vida, usando um animal que infunde tanto pavor às criaturas humanas. E até a chuva parou de cair, como se o céu silencioso estivesse igualmente acompanhando a sublime oração.

Verificamos, usando perguntas, o que os evangelizandos entenderam da história.
O que mais chamou a sua atenção nessa história? 
Você acha que foi um milagre o trem ter sido salvo? 
Será que a oração que o maquinista fez, antes de partirem em viagem ajudou? Por quê? 
Você acha que se o maquinista não tivesse feito uma prece sincera, o final da história seria o mesmo?

Ouvimos as respostas, reforçamos o entendimento e esclarecemos quando foi necessário.

Atingimos o objetivo de fazê-los compreender que a prece é a melhor forma de nos ligamos aos Espíritos Superiores , e que a espiritualidade maior vem em nosso auxílio toda vez que a nossa prece é feita com fé e com respeito, quando está envolvida pelos nossos melhores sentimentos.

O que oferecemos quando oramos?

Nossos evangelizandos têm muita dificuldade em se concentrar no momento da prece, ficam rindo, batucando na mesa, prestando atenção nas coisas que os outros estão fazendo, etc., assim, resolvemos usar essa técnica para que pudessem entender a importância de estarmos em sintonia com a Espiritualidade Superior quando oramos. O resultado foi ótimo!

Colocamos em cima da mesa embrulho de presente muito bonito.





Explicamos para os evangelizandos que aquele embrulho era um presente que eles queriam muito ganhar, um presente muito especial, pedimos que cada um pensasse em algo bem especial que estivessem querendo muito ganhar, não precisavam falar qual era o presente, apenas pensar, imaginando que o que desejavam estava dentro da caixa.

Abrimos o presente e mostramos o que havia dentro do embrulho, que decepção! (as carinhas foram hilárias)




"Mas tia, aí só tem lixo!", "Eca, que nojo!"

Perguntamos como estavam se sentido, ao ver o que tinha dentro da caixa. Ouvimos as respostas: estavam tristes, decepcionados, chateados... 

Explicamos que aquele presente representava a nossa prece. E que é isso que acontece quando fazemos nossa prece de qualquer jeito, sem nos concentrarmos, sem colocarmos os nossos melhores sentimentos nas palavras que saem da nossa boca, quando ficamos rindo, batucando na mesa, pensado em outras coisas, olhando para o que nosso amiguinho está fazendo, etc. Quando agimos assim, estamos oferecendo lixo a Deus, a Jesus, aos nossos Amigos Espirituais, pois no momento em que nos preparamos para fazer nossa prece, Deus, Jesus e nossos Amigos Espirituais ficam esperando ansiosos para receber o nosso presente – a nossa prece. 

Questionamos "Como vocês acham que eles se sentem quando fazemos uma prece que não vem do fundo do nosso coração, que não está envolvida nos nossos melhores sentimentos? Quando oferecemos a eles uma prece que se compara a esse lixo? Todos concordaram que Jesus, Deus e nossos Amigos Espirituais ficam muito tristes e decepcionados conosco.


Apresentamos então duas figuras: a primeira com uma criança fazendo uma prece pensando em brincadeiras.


Figura apresentada

Figura para imprimir


A segunda com uma criança fazendo uma prece pensando em Jesus. 



Figura apresentada


Figura para imprimir

Dialogamos com os evangelizandos, mostrando a importância de nos mantermos harmonizados e em sintonia com Jesus, com Deus, com a Espiritualidade Superior no momento da nossa oração.

Chegamos a conclusão que não queremos oferecer lixo para Deus, nem para Jesus e nem para nossos Amigos Espirituais, por isso todos se comprometeram a modificar seu comportamento durante a prece.

E quando chegou o momento da nossa prece de encerramento da aula, nenhum deles quis fazer a prece, mas todos se comportaram muito bem e tomaram a iniciativa de repetir, todos juntos, cada palavra da prece final, foi lindo!

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Boneco de Colher

Olhem que ideia legal! Achei lindinho para usar como atividade em temas como família, Lei de Reprodução e até para montar uma maquete.


Jogo da Memória

Como atividade para a aula sobre paz, a Carolina propôs um jogo da memória. Ela apresentou as figuras abaixo:

Imprimir duas vezes para montar os pares

Conversou com os evangelizandos sobre cada uma das palavras dos cartões, explicando o significado de cada uma. A atividade foi um sucesso, os evangelizandos queriam ficar jogando o resto da aula.











Esse jogo pode ser usado em outros temas (sentimentos, virtudes).

Outra dica é imprimir também um jogo para cada evangelizando levar para brincar em casa.

Paz, a Grande Conquista

Nesse sábado (22/10/16), a Carolina Higino começou sua aula questionando "O que é paz?" Ouviu as respostas dos evangelizandos e concluiu que "Paz é geralmente definida como um estado de calma ou tranquilidade, uma ausência de perturbações ou agitação. Pode referir-se à ausência de violência ou guerra. No plano pessoal, paz designa um estado de espírito isento de ira, desconfiança e de um modo geral todos os sentimentos negativos. Assim, ela é desejada por cada pessoa para si próprio e, eventualmente, para os outros, a ponto de ter se tornado uma frequente saudação (que a paz esteja contigo) e um objetivo de vida.

Perguntou se quem sabia uma forma de representar a paz, ouviu as respostas "pomba e bandeira branca" e confirmou que a paz é mundialmente representada pelo pombo e pela bandeira branca.

Manteve um dialogo com os evangelizando, lançando perguntas, ouvindo as respostas e reforçando o entendimento.
Como conseguimos a paz? 
Onde a encontramos?

Ter paz é ter a consciência tranqüila, fazer o bem.
Ter paz é cumprir suas tarefas (ajudar em casa, ir a escola, prestar atenção, ir à EEVP)
Ter paz é dizer palavras boas.
Ter paz é ter um coração que ama.
Ter paz é admitir seus erros, pedir desculpa.
Ter paz é respeitar os amigos, a família, a todos.
É a vontade de dividir o que tem, ajudar ao próximo.
Ter paz é confiar naquele que criou e governa o mundo... JESUS! 

As atividades propostas foram:

Jogo da memória.

Pintura da figura abaixo.





Ligar os pontos.






Vivenciando a Caridade: o Amor em Ação

Disponibilizar uma sala previamente arrumada, para ser o Planeta Terra (um mundo de provas e expiações). Em uma parte da sala as paredes serão decoradas com cartazes, predominando imagens com cenas do "mal" (assalto, briga, guerra, egoísmo, fofoca, preconceito, fome, seca, etc) e  em menor quantidade, imagens com cenas de pessoas do bem (auxílio, caridade, união, amizade, etc).

Demarcar os pontos dos locais que fazem parte do desenvolvimento da atividade: casa, trabalho, hospital, farmácia, padaria, supermercado, viatura da polícia, consultório, lado oposto ao trabalho.

Nessa sala iniciar a atividade. Os evangelizandos serão informados que existe uma tarefa a ser executada e cada um que concluir a tarefa vai receber 100 moedas de ouro (feitas com papel dourado), mas NÃO poderão ser informados que a demora na conclusão da tarefa fará com que percam moedas de ouro. 

Um evangelizador (o patrão) deverá anotar quantas moedas cada evangelizando perderá ao longo da atividade, sem informar para ele, somente na prestação de contas no final é que cada um ficará sabendo o quanto perdeu. Para esse controle, usar a planilha abaixo:




A tarefa é sair de casa e chegar ao trabalho, cada um tem um salário de 100 moedas a receber no final do dia. 

Teremos um ponto de partida que será a casa e um ponto de chegada que será o trabalho.

Iniciar a atividade dizendo:

Você está em casa, pronto para sair para o trabalho quando sua mãe pede para você passar no hospital onde seu avô está internado, para levar algumas coisas, mas antes você terá que passar na farmácia para comprar um pacote de fraldas, pois as dele estão acabando. 
1 – Você vai até a farmácia para comprar a fralda.
2 – Você resolve ir direto para o hospital sem parar para comprar a fralda.
3 – Você diz para sua mãe que não vai dar, tem que ir direto para o trabalho, pois precisa concluir suas tarefas sem perder tempo.

Quem fez a opção 1 vai para a farmácia (perde 20 moedas), quem fez a opção 2 vai para o hospital (perde 10 moedas) e quem fez a opção 3 vai direto para o trabalho, senta e espera os outros terminarem (não perde nenhuma moeda, no final do dia receberá 100 moedas).

Na farmácia – Após comprar as fraldas, uma senhora entra e pede sua ajuda, pois seu marido está doente sem condições de sair da cama, ela está desempregada e tem três filhos pequenos que estão há quatro dias sem comer nada. Ao lado da farmácia tem uma padaria e um supermercado, você...

1 – Vai à padaria e compra pão e leite para ela e sua família.
2 – Vai ao supermercado e compra alimentos nutritivos que possam ser consumido ao longo da semana.
3 – Lembra que está com muita pressa e dá uma desculpa qualquer e vai direto para o hospital.

Quem fez a opção 1 – A padaria está cheia e você demora 10 minutos para ser atendido e depois vai para o hospital (perde 10 moedas).
Quem faz a opção 2 – O supermercado está vazio, mas você demora 20 minutos fazendo e pagando as compras e depois vai para o hospital (perde 20 moedas).
Quem fez a opção 3 – vai direto para o hospital (não perde moedas).

No hospital - Você vê seu avô e quando está indo embora, o senhor que está na cama ao lado pergunta se você pode ler uma página do evangelho para ele antes de sair, pois ele não sabe ler e não recebe visita da família, você...

1 – Abre o evangelho ao acaso e lê uma página.
2 – Escolhe um trecho bem pequeno para ler e poder ir logo embora.
3 – Diz que esqueceu os óculos, por isso não pode ler e vai embora apressado. 

Quem fez a opção 1 – O evangelho foi aberto em um trecho longo, você procurou ler rápido, sem muita paciência. Nem mesmo você entendeu direito o que foi lido. (Demorou 10 minutos / perde 10 moedas).
Quem faz a opção 2 – O trecho que você escolheu era curto, mas você leu com calma e esclareceu as dúvidas do senhor.  (Demorou 20 / perde 20 moedas).
Quem fez a opção 3 –vai direto para o trabalho e fica sentado, esperando os outros terminarem (não perdeu moedas).

Ao terminar de ler o evangelho você se despede do seu avô e do senhor que está com ele no quarto. Quando chega a rua, um menino se aproxima de você e diz que está perdido, estava indo para a escola, se distraiu com um bando de pássaros que voava baixo fazendo algazarra e quando percebeu estava perdido, você...
1 – Conversa com ele tentando descobrir onde é a escola para ajuda-lo a voltar ao caminho correto.
2 – Procura uma viatura da polícia e entrega a criança aos policiais para que possam ajuda-la.
3 – Pede desculpas, pois já está muito atrasado e não pode parar para ajuda-la.

Quem fez a opção 1 – O menino responde suas perguntas e você consegue descobrir o caminho que ele tem que fazer até a escola. (Gastou 20 minutos / perde 20 moedas).
Quem faz a opção 2 – A viatura de polícia mais próxima estava na rua atrás do hospital, você teve que voltar. (Demorou  10 minutos / perde 10 moedas).
Quem fez a opção 3 – Vai para o trabalho e fica sentado esperando os outros terminarem (Não perde moedas).

Você já esta quase na entrada do edifício onde trabalha quando um deficiente visual pede sua ajuda para chegar num consultório médico que fica do outro lado da rua, no lado oposto ao seu trabalho. Você está muito atrasado...

1- mas o ajuda a atravessar a rua e o deixa na porta do consultório.
2 – mas o ajuda a atravessar a rua e explica como chegar ao consultório.
3 – lamenta não poder ajuda-lo, mas você está muito atrasado.

Quem fez a opção 1 – Atravessar a rua, ir até o consultório e depois voltar para o trabalho. (Demorou 20 minutos / perde 20 moedas).
Quem faz a opção 2 – Atravessar a rua, explicar o como chegar ao consultório e depois voltar para o trabalho. (Demorou 10 minutos / perde 10 moedas).
Quem fez a opção 3 – Vai para o trabalho e fica sentado esperando os outros terminarem (Não perdeu moedas).


O patrão entre em cena para fazer o pagamento. Cada um recebe a quantidade de moedas que terá direito.  

Entra um outro evangelizador em cena, explica que agora todos desencarnaram e vão regressar a pátria espiritual, mas não poderão levar as moedas, somente as boas ações que praticaram. Essas boas ações serão transformadas em tesouros espirituais, o evangelizador entrega uma estrela para cada 10 moedas perdidas. (Exemplo: Quem recebeu 100 moedas não recebe estrela; quem recebeu 90 moedas, recebe 1 estrela; quem recebeu 80 moedas, recebe 2 estrelas; assim por diante.)

Todos vão se dirigir para uma outra sala Umbral/Colônia, que estará dividida nesses dois ambientes. 

A parte do umbral deve estar escura, com bolas pretas espalhadas pelo chão. 

Na parte da Colônia, a sala deve estar iluminada e com bolas coloridas espalhadas pelo chão. 

Os evangelizandos que tiverem menos de cinco estrelas deverão ser encaminhados ao umbral e os que tiverem cinco ou mais, serão encaminhados para a colônia. 

Refletir com os evangeliandos sobre os ensinamentos deixados por Jesus e os que foram revelados pelos Espíritos Superiores a Kardec. Cada um fez as suas escolhas.

Quem fez a opção da riqueza material, ficou apegado aos bens terrenos, aos sentimentos da carne, mas que optou pela riqueza espiritual evoluiu e pode desfrutar de momentos mais tranquilos na vida espiritual. 

Em algum momento todos irão para a colônia, uns antes, outros bem mais tarde, quando serão preparados para reencarnar e cada um vai trazer na nova reencarnação os tesouros espirituais conquistados em cada uma de suas reencarnações.

Retornar com os evangelizandos para a sala do planeta Terra com a proposta de juntos trabalharmos para transformar a Terra em um mundo regenerado. Explicar que agora eles reencarnaram e vão ter uma nova oportunidade.
Disponibilizar cartolina, papel A4, lápis de cor, caneta hidrocor, giz de cera, tesoura, cola, papel colorido, estrelinhas, figuras e revistas, etc. O objetivo será criar novos cartazes com cenas da prática da caridade, para substituir grande parte dos cartazes com cenas da pratica do mal, deixando um ou dois, para exemplificar o bem prevalecendo sobre o mal.
Podem confeccionar flores bem coloridas, pássaros e outros animais. 

Quando a sala estiver transformada, refletir que fomos criados por Deus em um 
ato de amor, para que, amando, cumpramos nossa parte na sua obra. 
É o amor, não o dinheiro, que move o universo. É por amor que são feitos os maiores gestos de carinho, amizade e solidariedade. É o amor por alguém que tira das trevas enorme número de espíritos sofredores.
O amor faz a vida ter mais sentido e dá razão de ser aos sacrifícios e ao esforço no bem.

Essa vivência foi realizada no ENEFE 2015 e teve como objetivo, fazer os evangelizandos compreenderem que a felicidade pode ser construída desde já, através da vivência da caridade na família e na sociedade. E o resultado foi ótimo, eles adoraram!

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Atividade: Minhas Atitudes me Aproximam do Meu Espírito Protetor?

Prendemos na parede a figura do anjo protetor.



Explicamos aos evangelizandos que nossas atitudes também nos aproximam ou nos afastam do nosso espírito protetor, que fica triste quando fazemos bobagens. Circulamos um saco de pano com figuras de atitudes boas e ruins.







Os evangelizandos retiraram uma figura do saco e identificaram se aquela atitude nos afasta ou nos aproxima do nosso amigo espiritual, refletindo a cada figura sobre nossas atitudes. 




Após a reflexão os evangelizandos colaram as figuras na parede, perto ou longe do espírito protetor, de acordo com a reflexão feita anteriormente.